O que restou da ponte (Foto: Divulgação)
O governador Jackson Barreto decretou, nesta terça-feira, 12, estado de emergência nos municípios de Laranjeiras e Maruim. Com o decreto, que tem duração de 180 dias, o Estado pode pedir recursos ao governo federal para reparar os estragos na adutora do São Francisco, que rompeu após a queda da ponte no povoado Pedra Branca, em Laranjeiras, no último sábado, dia 09.
Conforme o decreto, de número 30.003, a Companhia de Abastecimento de Sergipe (Deso) e a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) podem adquirir de forma emergencial material, equipamentos e contratar serviços visando à normalização do abastecimento de água.
Jackson Barreto explicou a importância do decreto. “O decreto é importante para buscamos apoio e obtermos retorno ágil junto ao Ministério da Integração Nacional. O decreto visa a facilitar a captação de recursos, para que adquiramos o mais rápido possível tudo o que for necessário para agilizar o andamento da obra”, disse.
A suspensão das aulas nas escolas da rede estadual em 130 escolas de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão também foi decretada e publicada no Diário Oficial. Com a medida, estima-se que aproximadamente 100 mil alunos da rede pública de ensino serão atingidos pela suspensão das aulas. As classes serão normalizadas assim que as obras da adutora emergencial sejam concluídas.

Adutora emergencial

A queda da ponte e o rompimento de duas adutoras do São Francisco, localizadas no povoado Pedra Branca, em Laranjeiras,no início da tarde deste sábado,09, causaram o interrompimento de 70% do abastecimento de água da Grande Aracaju. Com isso, as regiões de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros e bairro Rosa Elze e conjunto Eduardo Gomes, em São Cristóvão, foram afetadas. A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) está mobilizada para providenciar uma solução emergencial. Com o acidente, a Grande Aracaju teve sua capacidade de abastecimento reduzida para 30%.
Técnicos da Deso trabalham durante 24 horas por dia junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) para viabilizar a construção de uma adutora emergencial na ponte já existente. A expectativa é que a as obras sejam concluídas até sexta-feira, 15.
Com relação aos 30% que permanecem em funcionamento, o diretor-presidente da Deso informa que o volume é correspondente ao abastecimento do Poxim, Cabrita e Ibura e que essa porcentagem, que originalmente alimenta a zona sul da capital, será redistribuída para toda a Grande Aracaju.
A Deso pede a colaboração e compreensão da população e solicita que, nesse momento de crise, todos economizem água. “A Deso está se preocupando em solucionar o problema e pede que todos fiquem cientes da situação”, afirmou o diretor presidente da Companhia, Carlos Melo, acrescentando que as causas do acidente ainda não foram esclarecidas.

Por ASN

Ponte na década de 30 (Reprodução: Adailton Andrade)
Diário Oficial do Estado de Sergipe de 12 de maio de 2015

Ponte como era há pouco tempo (Foto: Adailton Andrade)





0 Comentários