Déda apresenta plano de ação (Foto: Wellington Barreto/ASN)

Sensibilizado com a tragédia que ocorreu em Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul, onde 233 pessoas morreram por causa de um incêndio que ocorreu em uma boate, o governador Marcelo Déda reuniu nesta segunda-feira, 28, o comandante do Corpo de Bombeiros (CB), coronel Nailson Santos, o coordenador da Defesa Civil Estadual, tenente coronel José Erivaldo Mendes e o secretário chefe da Casa Civil, Silvio Santos, no Palácio dos Despachos, para comunicar a criação de uma comissão que fiscalizará espaços que recebem grandes aglomerações.
“Acompanhei durante todo o dia pelos telejornais o acidente que vitimou centenas de pessoas no Rio Grande do Sul. Nos solidarizamos com o governo do Rio Grande do Sul, inclusive enviamos um médico e uma enfermeira para ajudar no que for necessário”, relatou Déda.
Demonstrando preocupação, o governador deseja se antecipar e criar as condições necessárias para que a população sergipana possa se dirigir aos espetáculos tranquilamente, seja em boates, campos de futebol, teatros, ginásios de esportes, qualquer local que receba grandes públicos. “Dessa forma, podemos contribuir para evitar que cenas terríveis se repitam”, ressaltou o governador Marcelo Déda.
Ele solicitou que o comandante do CB e o coordenador da Defesa Civil devem procurar as prefeituras do interior sergipano, porque é fundamental a parceria dos órgãos de segurança do Estado com os órgãos municipais. Pois são as prefeituras que detêm conhecimento detalhado da sua cidade. “A comissão terá 60 dias para apresentar o diagnóstico da real situação dos municípios”, avisou o governador.
O coordenador da Defesa Civil Estadual, tenente coronel José Erivaldo Mendes, disse ter um trabalho importante a fazer, que é um diagnóstico de todas as casas de shows e estabelecimentos de aglomeração de público em Sergipe. “Temos a preocupação de levantar todos os critérios de segurança existentes nesses locais e quais deles não atendem às normas técnicas para que a gente possa de forma imediata fazer as exigências necessárias para as adequações e os casos mais graves, caso seja necessário, fazer a interdição”.
Ele lembrou que existem dois focos que devem ser analisados: o primeiro deles é avaliar a estrutura desses estabelecimentos, de que forma se encontram do ponto de vista de manutenção e o outro ponto relevante é a questão contra o incêndio e pânico. “O Corpo de Bombeiros é especialista no assunto e vai verificar se as normas estão sendo cumpridas, se existem extintores de incêndio, hidrantes, detectores de metais, iluminação e saída de emergência adequada. Tudo isso vai ser analisado à luz das normas”.
As ações vão ser realizadas em todo o estado sergipano. “Mapearemos todos os locais, prioritariamente a capital, por existir um maior número de edificações, mas vamos aos municípios que possuem esse tipo de estabelecimento”, comunicou o tenente coronel.
O comandante do Corpo de Bombeiros (CB), coronel Nailson Santos informou que o órgão já trabalha diariamente com o foco na segurança e que a determinação do governador Marcelo Déda irá aprimorar ainda mais as cobranças. “Quando liberamos as instalações para funcionamento, é porque estão em condições de segurança. Mas temos os atestados que são emitidos anualmente, então, vamos identificar a regularidade, a manutenção e encontrar aqueles que estão funcionando sem autorização”.
Ele chama a atenção para a necessidade dos preventivos mínimos exigidos na segurança. “Extintores de incêndio, sinalização e iluminação de emergência. De acordo com área e metros quadrados, o tamanho, vai variar com outros requisitos”, explicou.

Decreto

Um decreto será expedido ainda essa semana. Nele, consta a determinação a todos os secretários de estado que enviem para a comissão criada a relação dos locais públicos – estádios de futebol, teatro, auditórios do Governo do Estado. Dessa forma, a comissão também examinará os prédios do governo. “Não criamos a comissão apenas para analisar o que é do setor privado, é para começar em casa o exemplo. Devemos verificar se as nossas instalações para grandes públicos também estão adequadas às regras e o Estado vai adotar as medidas necessárias para que as suas instalações ofereçam a mesma segurança que nós estamos cobrando dos outros”, destacou o governador.

Apelo

“Quero fazer um apelo a todos os prefeitos, para que se integrem a esse grupo de trabalho, colaborem conosco para que nós possamos oferecer mais tranquilidade e segurança à população sergipana. Para que uma festa não se transforme depois em uma tragédia”, pediu Déda.

Denúncia

Para o chefe do Executivo estadual, a população cumpre um papel importantíssimo ao detectar algum ambiente que não ofereça segurança. “Se teve notícia de algum tipo de evento que põe em risco a segurança dos presentes, procure a Prefeitura ou a Defesa Civil Municipal, o Corpo de Bombeiros Militar ou a Defesa Civil Estadual que iremos verificar e daremos resposta às denúncias que nós recebermos”.

Por Agência Sergipe de Notícias / ASN

0 Comentários