COLUNA DESTAQUE

Déda acompanha posse do gerente geral da Petrobrás e enfatiza aumento da produção de petróleo em Sergipe


Governador abraça novo gerente (Foto: Marcos Rodrigues/ASN)
Na manhã da sexta-feira, 4, o governador Marcelo Déda participou da posse do novo gerente geral da Unidade Sergipe-Alagoas da Petrobrás. Geólogo e há 34 anos na Companhia, Luiz Robério Silva Ramos substitui Eugênio Dezen, que assumirá a Gerência Executiva dos Serviços Compartilhados da Petrobrás no Rio de Janeiro. Antes de chegar a Sergipe, Robério exercia a função de gerente geral da Unidade de Exploração e Produção do Espírito Santo.
“Esse é um momento muito importante da Petrobrás no estado de Sergipe. Despedimos-nos de uns dos mais competentes e produtivos executivos que a Petrobras já teve em nosso estado. Eugênio Dezen é responsável por uma década virtuosa: esses quase dez anos em que ele esteve à frente da Gerência Sergipe/Alagoas possibilitou um aumento significativo de investimentos da Companhia em Sergipe, a descoberta de novos campos e uma nova perspectiva de futuro na exploração de petróleo em nosso estado. E se a Petrobrás escolhe para substituir Dezen, o executivo que administrava a sede do Espírito Santo, é porque tem planos muitos significativos para Sergipe”, afirmou o governador.
Déda fez quetão de destacar a importância econômica das novas descobertas anunciadas pela Petrobrás no final de 2012, a exemplo dos poços em águas profundas e ultraprofundas nos municípios de Moita Bonita e Barra dos Coqueiros, haja vista que o crescimento da produção de petróleo implica no aumento de repasse de royalties para o Estado.
Conforme declarações do governador, no final do ano passado, a própria Companhia anunciou novas descobertas de águas profundas, fazendo de Sergipe o estado pioneiro do Norte e Nordeste brasileiro na exploração de petróleo em águas profundas. Há uma perspectiva para que nos próximos seis anos, Sergipe possa quintuplicar sua produção de petróleo. Isso significa que Sergipe pode ter acesso a um volume em torno de R$ 600 milhões em royalties nos próximos anos.
"Esse dinheiro não é para nosso governo, não é para nossa administração, mas fico feliz como sergipano, porque quem governa tem que ter os olhos no futuro. O petróleo continuará a ser, pelo menos nos próximos 30 anos, uma das principais âncoras da economia sergipana. Isso graças à decisão do ex-presidente Lula e da presidente Dilma de ampliar os investimentos, de mudar o marco regulatório da exploração do petróleo e de fazer da riqueza petrolífera a grande poupança dos nossos filhos e netos aqui no Brasil. Vamos aproveitar a experiência que Robério tem e daqui a mais seis anos estaremos disputando, ombro a ombro, a posição de quarto produtor de petróleo do País”, disse.

Manter o Crescimento

Já o novo gerente geral da Unidade, Luiz Robério Silva Ramos, informou que a prioridade da gestão é aumentar os investimentos da Companhia em Sergipe. “É um orgulho muito grande vir para Sergipe continuar esse trabalho belíssimo que a equipe Petrobras tem feito. Nossa meta é manter e crescer os investimentos, tanto em terra quanto em águas profundas no mar, com foco na segurança das instalações e na melhoria das condições de trabalho. A unidade de Negócios da Petrobrás de Sergipe-Alagoas tem vários momentos marcantes: foi a primeira área de produção no mar; tem um campo gigante em terra, que é o campo de Carmópolis; tem o campo de Piranema, que é a primeira produção em águas profundas. Sem dúvida nenhuma, essa é uma região de destaque na Petrobrás e no Brasil”, disse.
“Tivemos uma ótima equipe de trabalho e o apoio da direção da Petrobras. Nesses nove anos à frente da unidade SE/AL ampliamos bastante o potencial de produção de Sergipe, geramos empregos. Fizemos um bom trabalho e agora vamos buscar novos desafios”, declarou Eugênio Dezen, que irá assumir a gerência Executiva dos Serviços Compartilhados da Petrobrás no Rio de Janeiro.

Grande Produtor

Sergipe vem despontando como grande produtor de petróleo nacional. Com uma produção de 40 mil barris/dia, a bacia SE/AL tem capacidade para aumentar em cinco vezes sua produção, saltando, assim, para 200 mil barris/dia. Além do petróleo, o estado possui outras fontes de energia como gás natural, etanol, biomassa, energia hidroelétrica e energia eólica. Em dezembro, a Petrobras anunciou um investimento de R$ 1,6 bilhão em Sergipe para 2013. Serão R$ 400 milhões a mais que em 2012. Entre os investimentos realizados no ano passado destaca-se a revitalização em campos terrestres do estado: Carmópolis, Siriri-Siririzinho e Riachuelo. Os aportes nesses campos somam R$ 600 milhões.
Somente no projeto de Ampliação de Produção do Campo de Carmópolis, região Leste de Sergipe, foram aplicados R$ 306 milhões. Coordenado pela Petrobrás e pela empresa de engenharia Produman, o projeto SA-1346 consiste na construção de um sistema geral de tratamento de óleo, ampliação do sistema de tratamento e injeção de água e adaptação de oito estações satélites. A expectativa é aumentar a reserva e a produção de óleo, elevando em 35% a produção, passando dos atuais 22,6 mil barris/dia de óleo para 30,4 mil barris/dia em 2013. O incremento na produção de óleo no Município aumentará em 15% a arrecadação de royalties nos próximos 10 anos. 
O campo de Carmopólis é considerado o maior da Unidade de Negócios da Petrobrás de Sergipe-Alagoas (UN-SEAL), com mil poços e produção de 80% da unidade de produção terrestre em Sergipe. Dispondo de uma área de cerca de 140 km², o Campo está localizado no município de mesmo nome, estendendo-se por outras cinco cidades – Japaratuba, Maruim, Rosário do Catete, General Maynard e Santo Amaro das Brotas.

Escola Técnica

Ainda durante a solenidade, o governador Marcelo Déda anunciou que o Instituto Federal  de Educação, Ciência e Tecnologia do município de Carmópolis será entregue este ano. A unidade, que ofertará o curso técnico na área de Petróleo e Gás, faz parte da política de interiorização da educação implantada pela gestão estadual e está orçada em R$ 4 milhões.
“Em mais de 40 anos de produção de petróleo e gás, Sergipe nunca teve uma escola técnica na área. Nossa expectativa é entregar a escola agora em 2013 e queremos ver essa juventude poder acessar os empregos de qualidade gerados pela Petrobras e pelas prestadoras de serviços”, declarou.

Novos Investimentos 

Além dos empreendimentos em Carmópolis, a Petrobras investirá ainda R$ 140 milhões em Siriri, na área do Siririzinho, e R$ 110 milhões em Riachuelo, nas instalações e equipamentos de produção em terra da companhia, totalizando R$ 600 milhões. A expectativa é de que a produção aumente dos atuais 32 mil barris/mês de petróleo para 42 mil barris. No ápice da produção, dois mil novos empregos poderão ser gerados nas obras de modernização e expansão da produção em terra.

Convênios

A parceria entre o Governo do Estado e a Petrobrás vai além da exploração de petróleo e gás. Obras de infraestrutura – orçadas em R$ 43.355.861,61 milhões - integram o convênio em benefício do desenvolvimento de Sergipe. Em 2010, foi firmado um acordo para a recuperação de rodovias e construção de ponte nos municípios de Divina Pastora, Siriri, Rosário do Catete, General Maynard, Barra dos Coqueiros, Santo Amaro das Brotas, Maruim, Laranjeiras, Riachuelo e Pirambu, área de localização de campos de exploração de petróleo e que recebem intenso tráfego de veículos da estatal.
Estão incluídos no convênio a construção de ponte sobre o Rio Sergipe na Rodovia SE-245 (Malhador/Riachuelo) e seus acessos; a rodovia SE-160 – ligando Divina Pastora a Siriri; a rodovia SE-343 – estendendo-se de General Maynard a Rosário e ao acesso de Rosário à BR-101; a SE-240 – desde o entroncamento com a SE-100, na Barra dos Coqueiros, à BR-101, na altura de Maruim, passando por Santo Amaro. Orçada em R$ 16.740 milhões, a SE-240 já foi inaugurada.

Por Agência Sergipe de Notícias / ASN (Adaptada)

Nenhum comentário

Deixe o seu comentário!

Tecnologia do Blogger.