Foto: Agência Brasil

Hoje, segunda-feira, 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. A data passou a ser lembrada, anualmente, a partir de 1917, quando cerca de 90 mil operárias protestavam contra o Czar Nicolau II. As trabalhadoras reclamavam das péssimas condições do ambiente laboral, ausência de alimentos e também questionavam a participação da Rússia na primeira guerra mundial. Apesar da consagração da data naquele ano, o Dia Internacional da Mulher foi oficializado apenas em 1921.

O voto sempre foi uma bandeira de luta das mulheres pelos direitos iguais. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, em 1891, as mulheres pleiteavam o direito de participar do processo eleitoral. Naquele ano foi apresentada uma proposta de emenda à Constituição para garantir o direito ao voto feminino, mas foi rejeitada. Somente em 24 de fevereiro de 1932, o Código Eleitoral passou a assegurar o voto feminino no Brasil. Para votar, a mulher deveria ser casada e possuir autorização do esposo para votar. Se fosse viúva e com renda, também poderia votar. Essas restrições foram abolidas na Constituição Federal de 1934. Com a aprovação da Lei Federal nº 13.086/2015, o dia 24 de fevereiro passou a ser, oficialmente, o Dia da Conquista do Voto Feminino no Brasil.

Lúcia Marques (Foto: Divulgação)

O município de Maruim possui 166 anos de fundação e neste período apenas nove mulheres ocuparam cargos eletivos nos poderes legislativo e executivo. A primeira mulher a ocupar um cargo eletivo no município foi a professora Maria Lúcia Marques Cruz e Silva (PMDB, hoje MDB), eleita em 1992, vereadora com 182 votos para a legislatura 1993-1996. 

Em 1996, Telma dos Anjos Menezes (In Memorian), foi eleita vice-prefeita 
com 5.081 votos, na chapa do prefeito João Vieira dos Santos (In Memorian), do PFL, hoje DEM. Dona Telma Menezes chegou a comandar o município por quinze dias, quando o prefeito viajou a Itália para reunir-se com empresários com intuito de atrair investimentos para construção de uma unidade industrial no município de Maruim. Também em 1996, Zélia Maria de Britto Menezes (PFL, hoje DEM), foi a terceira mulher a ocupar um cargo eletivo em Maruim. Eleita com 172 votos, ocupou uma vaga na Câmara, na legislatura de 1997-2000. 

Ednalva Nascimento (Foto: Divulgação)


Em 2000, mais um fato histórico na política maruinense, pois Ednalva Nascimento de Sena e Silva, Dona Nalvinha (PMDB, hoje MDB), foi eleita a primeira prefeita de Maruim. Eleita com 3.792 votos, Dona Nalvinha tinha como companheiro de chapa o ex-prefeito Murilo Mota de Oliveira.

Em 2004, Tânia Maria Lima Maynart, foi eleita vice-prefeita na chapa do prefeito Jeferson Santos de Santana (PT do B, hoje Avante) com 3.966 votos. 

Maria Angélica (Foto: Daniel Varjão)


Outro marco atingido por uma mulher na política de Maruim foi alcançado por Maria Angélica de Jesus, que foi eleita pelo PSC com 511 votos, em 2008, sendo a primeira mulher a obter a maior votação na busca por uma vaga no Poder Legislativo de Maruim. Angélica foi eleita ainda outras duas vezes para vereadora em 2012, pelo PSD, com 539 votos (a maior votação entre os vereadores naquele ano) e em 2016, eleita com 496 votos, também pelo PSD.

No pleito de 2012, duas mulheres conseguiram vagas na câmara de Vereadores pela primeira vez. Na legislatura de 2013-2016, além de Maria Angélica, Arlinda Vieira dos Santos (PMDB, hoje MDB), também ocupou uma das cadeiras do parlamento municipal. Arlinda Vieira obteve 507 votos, em 2012 e em 2016 foi eleita pelo PMDB com 645 votos.

Aline Vieira (Foto: Arquivo Pessoal)

No pleito de 2020, a Câmara de Vereadores voltou a ter apenas uma vereadora. Desta vez, Aline Vieira dos Santos (MDB), eleita com 456 votos, sendo a mais votada na eleição para o cargo proporcional do ano passado. Também na eleição de 2020, Edileuza da Silva, conhecida como Edileuza de Chile, foi eleita vice-prefeita na chapa do prefeito Gilberto Maynart de Oliveira (PT) com 4.496 votos. Desde 26 de janeiro de 2021, Edileuza de Chile (PV) assumiu a Prefeitura de Maruim, interinamente, em razão do afastamento do prefeito Gilberto Maynart de Oliveira, que está internado no Hospital Cirurgia, em Aracaju, por conta de complicações do novo coronavírus (Covid-19).

Edileuza da Silva (Foto: Divulgação)


Em 2020, três candidaturas ao cargo de prefeito foram registradas em Maruim. Todas as candidaturas tinha uma mulher como candidata a vice-prefeita. 108 candidaturas para o cargo de vereador foram registradas, mas apenas 35 candidaturas eram de pessoas do sexo feminino, ou seja, apenas 32,4%.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, até novembro de 2020 Maruim registrou 12.240 eleitores, sendo 6.395 (52,25%) pessoas do sexo feminino e 5.845 (47,75%) pessoas do sexo masculino. 

Por Keizer Santos





Zélia Menezes (Foto: Arquivo Pessoal)

Tânia Maynart (Foto: Divulgação)



Arlinda Vieira (Foto: Divulgação)


Telma Menezes (Foto: Arquivo Pessoal)




0 Comentários