"As peripécias de Zé Caititu" é o novo cordel do membro fundador da Academia Maruinense de Letras e Artes (AMLA), Luiz Eduardo Bittencourt da Silva, ou simplesmente, Professor Eduardo. Esta obra traz as aventuras do personagem, que homenageia Maruim, através do nome do povoado Caititu. 

Desde 21 de maio, o cordel está disponível para venda com um preço simbólico de R$ 2,00, que pode ser adquirido com o autor na Secretaria Municipal de Educação, na Rua Brasília (turno matutino) e nos demais turnos na sua residência: Rua Pinto Carvalho, 43, São José, em Maruim. 

Professor Eduardo também escreveu outras obras, como o livro "Maruim mais Bela”, lançado em 2014, que retrata em versos a história da menina Bela, que foi assassinada por acidente, quando um soldado manuseava uma arma de fogo em Maruim. Em 2015, lançou seu segundo livro “Gritos de liberdade”, que retrata a fuga de uma escrava, que transmite desejos de liberdade, sentimentos e dores. A obra também aborda a trajetória do índio, que contribuiu para miscigenação do povo brasileiro. Em 2017, lançou o seu primeiro cordel intitulado “A Menina Bela”. Em seguida, publicou "Uma viagem a Maruim", "João Tião e Maurina -
 O preço da traição", "A inocência da Fé" e agora "As peripécias de Zé Caititu".

BIOGRAFIA 

Nascido em 7 de setembro de 1965, em Maceió/AL, Luiz Eduardo Bittencourt da Silva, reside em Maruim há mais de vinte anos. Casado e pai de quatro filhos. 
A trajetória escolar do autor iniciou-se no Grupo Escolar Poeta Garcia Rosa. O antigo primeiro grau (atual ensino fundamental) foi concluído no Colégio Estadual Presidente Garrastazu Médici, e o antigo segundo grau (atual ensino médio) foi cursado no Colégio Atheneu Sergipense e no Gonçalo Rollemberg. Todas as escolas da rede estadual e localizadas na capital sergipana, Aracaju. Na sua nova etapa de ensino, passou a estudar o curso de magistério no Colégio Estadual Felipe Tiago Gomes, em Maruim/SE. Graduou-se em História pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) e fez Especialização em Educação e Gestão, pela Faculdade Pio Décimo. 
Em 2015, professor Eduardo foi agraciado com o Prêmio Vip de Educação Superior, organizado pela Revista Educação Superior Nordeste e pelo Jornal Coerente. O prêmio foi resultado de uma pesquisa realizada entre 200 acadêmicos de duas universidades e de quatro faculdades sergipanas. 
Em 2017, foi empossado como imortal na recém-criada Academia Sergipana de Cordel. Professor Eduardo ocupa a cadeira nº 33, cujo patrono é Pedro Armando dos Santos. Também em 2017, o Professor Eduardo fundou com outros onze membros, a Academia Maruinense de Letras e Artes, passando a ocupar a cadeira cujo patrono é Thomaz Rodrigues da Cruz.

Por Keizer Santos 


0 Comentários