Em 5 de maio de 1854, MARUIM recebeu o selo de sua Independência. Toda cidade é como uma mãe, aquela mãe fértil que teve tantos filhos que até perdeu a conta. A princesa do Ganhamoroba desde cedo foi marcada pelo símbolo da fé, cujo povo devota culto a Senhor dos Passos, com a criação da Freguesia em 1837, e a Nossa Senhora da Boa Hora, cujos padroados ecoam como hino de louvor. Nas sementes brotadas em seu seio emerge um imenso amor que, muitas vezes é traduzido por outrem como sinônimo de bairrismo. Característica que identifica, há mais de cem anos, o MARUINENSE. 

Não faz muito tempo que, nos carnavais da vida ela se vestiu de Pierrô e Colombina e, festivamente fez sorrir ruas, bairros, em especial o São José, onde saía o Bloco Santa Cruz, para se encontrar na praça da matriz, com o rival Bloco Chic. Mas, entre tanto colorido, foi o verde dos canaviais que pintou de esperança a vida dos habitantes dessa encantadora terra. Razão maior que atraiu ilustres personalidades, investidores estrangeiros e do Brasil, inclusive a maior autoridade do Império D. Pedro II e tantos outros. 

Como tributo sagrado, vale registrar nomes (Pinto de Carvalho, Barão de Maruim, Alberto Deodato, Josias Dantas, João Rodrigues da Cruz, Josilda, Joel Aguiar, Gerusa Pereira, Marocas Fidelis e outros) que ajudaram a escrever nossa história deixando um rastro luminoso, com o trabalho, o talento e, acima de tudo com a luta para o engrandecimento desse abençoado torrão. É o que atesta um verso do Hino do Centenário dê Maruim (1954) de autoria do poeta Freire Ribeiro. 

“Glória a ti Maruim altaneira/Que se orgulha de ter essa grei/Os teus filhos varões denodados/Os Titãs de Sergipe Del Rey”. 

Devemos encorajar os que já se sentem cansados das batalhas da vida, como também estimular os jovens que ensaiam os primeiros voos para transpor barreiras e alcançar um futuro de grandes realizações. Receba Maruim o abraço de felicitações natalícias da Academia Maruinense de Letras e Artes (AMLA). 

Por Maria Lúcia Marques - Presidente. 
Maruim, 5 de maio de 2020.
Foto: Daniel Varjão

0 Comentários