COLUNA DESTAQUE

Morre em Aracaju, aos 97 anos, a maruinense Glorita Portugal

Glorita Portugal (Foto: Ascom/Seed)
Na manhã deste domingo, 4, morreu Maria da Glória Menezes Portugal Montes, a professora Glorita Portugal. Aos 97 anos, Glorita Portugal estava internada no Hospital São Lucas, em Aracaju.
O corpo encontra-se velatório Osaf, na Rua Itaporanga D' Ajuda, no centro da capital sergipana. O sepultamento será na segunda-feira, 5, às 9h.

Vida e História

Maria da Glória Menezes Portugal Montes, a professora Glorita Portugal, nasceu no dia 27 de junho de 1917, no Engenho Beleza, no povoado Caititu, no município de Maruim, distante a 30 Km de Aracaju, capital do Estado de Sergipe. 
Glorita Portugal é filha de Inácio José de Menezes e de Jardelina de Góis; neta de João Ferreira de Góis e Ana Joaquina Cortes Góis; e irmã do Dr. Geraldo Majela de Menezes. 
Glorita iniciou sua vida escolar aos seis anos de idade numa escola do povoado Caititu. Após dois anos, é transferida para o Colégio Nossa Senhora da Conceição, comandado pela professora Violante Macieira, na sede municipal. Um ano depois, Glorita passa a estudar no colégio da professora Zizinha Guimarães, em Laranjeiras. Em 1932, aos 15 anos de idade, passa a residir em Aracaju e, consequentemente, a estudar no Colégio Tobias Barreto. 
Em 1934, Glorita firma matrimônio com o baiano Francisco Portugal, professor “amante” das línguas (Dominava o latim, a língua francesa, a inglesa, a espanhola, a alemã, a grega e a russa). Do casamento, nasceram Eglantina, Tornélia, Fortunato, Inácio, Fedro, Eglélia, Verbena e Geraldo Majela, este morreu aos quatro meses de vida. 
Glorita Portugal passa a dedicar mais tempo da sua vida ao magistério para ajudar no orçamento familiar, quando seu esposo vai à falência com sua loja de artigos elétricos. Torna-se então, professora de Francês nos Colégios Tobias Barreto, Nossa Senhora de Lourdes, Patrocínio São José, Escola Normal Rui Barbosa e outros. 
Em 1957, Glorita presta concurso para a Cátedra de Francês do Colégio Estadual de Sergipe, o Atheneu Sergipense. 
Em 1962, sua vida começa a ser marcada com a morte do seu esposo Francisco Portugal. Mais tarde morre sua filha mais velha, a bioquímica do Instituto Parreiras Horta, Eglantina, após ser picada por abelhas. 
No Governo Lourival Baptista, assume, por dois anos, a direção do Colégio Estadual Atheneu Sergipense. 
Quando Glorita se aposenta, passa a morar no Rio de Janeiro, e contrai mais um casamento, com o também viúvo, João Alfredo Montes, que também fora professor de Física e diretor do Colégio Atheneu Sergpense. Após a morte do professor Alfredo, volta a Aracaju, onde permanece atualmente. 
No Conjunto Eduardo Gomes, no bairro Rosa Elze, em São Cristóvão, existe um unidade escolar em sua homenagem, o Colégio Estadual Professora Glorita Portugal. 

Por Keizer Santos 

Nenhum comentário

Deixe o seu comentário!

Tecnologia do Blogger.