(Foto: Ascom/Sintese)
Em assembleia realizada na tarde desta segunda-feira, 16, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE), os professores da rede estadual decidiram manter a paralisação, que ocorre desde o dia 2 de junho. Os professores reivindicam uma recomposição da carreira do magistério, que de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Sergipe (Sintese) está desestruturada desde 2012.
Segundo o Sintese, em audiência ocorrida no dia 5 de junho as equipes da Secretaria da Fazenda (Sefaz), Secretaria de Planejamento de Orçamento e Gestão (Seplag) e Secretaria de Estado da Educação (Seed) apresentaram um cenário para reestruturar a carreira do magistério. De acordo com os representantes do governo, em linhas gerais, os estudos para a reconstrução da carreira dos professores da rede estadual estariam sendo conduzido para a adoção de uma regra que permita, a partir de 2015, a valorização da remuneração dos professores. Esta valorização se daria por meio do repasse aos salários de percentual correspondente a diferença entre o crescimento de receita e de despesa do magistério apurados no ano anterior.
O documento apontando a construção desde possível cenário foi entregue no dia 9 de junho a direção do Sintese, pouco antes da assembleia da categoria marcada para aquele dia. No documento constava ainda que a equipe do governo até o dia 13 de junho apresentaria um versão preliminar do texto para discussão, que não aconteceu.
“É fundamental que um número expressivo de professores compareça na assembleia desta quarta-feira e que logo após sigamos em caminhada até a Assembleia Legislativa, para juntos tentarmos exigir que o governo, por meio da secretaria da fazenda, sente conosco em audiência para buscar reconstruir nossa carreira esfacelada desde 2012”, convoca a presidente do Sintese, Ângela Maria de Melo.
Na próxima quarta-feira, 18, às 9h, no IGHSE, haverá uma nova assembleia para novas deliberações. Em seguida, os professores irão a Assembleia Legislativa acompanhar a apresentação do Secretário da Fazenda, Jeferson Passos, sobre os gastos do último quadrimestre financeiro de 2013. Na ocasião os professores buscarão audiência com o secretário Jeferson Passo para galgar a reconstrução da carreira do magistério. 
 
Por Redação com informações da Ascom/Sintese

0 Comentários