Belivaldo celebra 164 anos de emancipação de Maruim

O governador Belivaldo Chagas participou na noite deste sábado (05), ao lado de centenas de fiéis, do prefeito Jeferson Santana e do deputado federal Fábio Reis, da missa em celebração aos 164 anos de Emancipação Política de Maruim, na Igreja Matriz de Senhor dos Passos.

Belivaldo falou da importância histórica e cultural do município e da sua satisfação em participar da data comemorativa ao lado dos maruinenses. "É uma alegria participar, na noite de hoje, de mais uma data comemorativa deste município que é um berço cultural no nosso estado", disse o chefe do Executivo estadual.

O padre Rodrigo Maia, administrador da Paróquia Senhor dos Passos, celebrou a missa e pregou a liberdade, a igualdade e o amor entre os fiéis. O governador destacou as palavras do padre Rodrigo quando este convocou os munícipes a saírem do campo da individualidade para pensar sempre no bem coletivo. "Como disse o padre Rodrigo Maia, pensemos na independência sempre com foco no coletivo, no bem comum e não somente no bem individual. Não existe bem individual, sem o bem coletivo. Que todos se unam para defender Maruim hoje e sempre", explanou.

O prefeito de Maruim enfatizou o significado da data para o município. "Foi a partir do dia 5 de maio que Maruim começou a ter sua independência e começou a se transformar em uma potência cultural e econômica para Sergipe. Para nós, é uma alegria celebrar esta data ao lado do governador Belivaldo Chagas neste dia tão importante para o nosso município", declarou Jeferson Santana.  

Maruim foi elevada à categoria de cidade a partir da Lei Provincial nº 374, de 05 de maio de 1854. O município era considerado uma potência econômica e política no início do século XX, em virtude de sua capacidade na indústria açucareira.

Por ser uma potência econômica, Maruim era o município que apresentava maior arrecadação para província. Essa condição gerava prestígio, comprovado, quando em 14 de janeiro de 1860, Maruim foi um dos poucos municípios a receber a visita da comitiva do imperador Dom Pedro II e da imperatriz Tereza Cristina, através do rio Ganhamoroba, afluente do rio Sergipe.

O destaque no cenário econômico também foi fundamental para o fortalecimento político, através da concessão do título de Barão ao dono de engenhos, João Gomes de Melo, pelo Imperador do Brasil Dom Pedro II. O Barão de Maruim ainda ocupou o cargo de comandante da Guarda Nacional; vice-presidente da Província de Sergipe de 27 de setembro de 1855 a 27 de fevereiro de 1856, chegando a assumir a Província numa época castigada pela cólera. Foi deputado provincial por várias legislaturas; deputado geral por três vezes e nomeado, por Carta Imperial, senador do Império em 21 de maio de 1861, cargo que ocupou por 28 anos.

O município de Maruim possui duas relíquias arquitetônicas: o Gabinete de Leitura e a Igreja Matriz de Senhor dos Passos.

O Gabinete de Leitura, que completará 141 anos em agosto, possui projeto arquitetônico de Corinto Pinto de Mendonça. A tribuna do Gabinete foi ocupada por grandes oradores tais como Tobias Barreto, Fausto Cardoso, Deodato Maia, Thomaz Cruz, Clodomir Silva, Felisbelo Freire, Homero de Oliveira, Otto Schramm, José Quintiliano da Fonseca, Gumersindo Bessa, Pe. Leonardo Dantas, entre outros nomes da história sergipana. Por sua importância, o Gabinete de Leitura foi reconhecido como Utilidade Pública Federal em 1º de outubro de 1919, através do Decreto nº 3.776, assinado pelo presidente da República, Epitácio Pessoa, por intermédio do deputado federal Deodato Maia. Desde 1992, o Gabinete de Leitura foi municipalizado pelo então prefeito de Maruim, Murilo Mota de Oliveira, que o transformou em Biblioteca Pública Josias Vieira Dantas.

Fundada em 1862, a Igreja Matriz de Senhor dos Passos, que possui estilo barroco, é o primeiro patrimônio histórico e artístico nacional de Maruim. O reconhecimento aconteceu em 2014, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O título considera aspectos arqueológico, paisagístico e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes aplicadas.

Programação  

Após a missa,  a programação em comemoração aos 164 de emancipação política do município continuou com a apresentação da Banda Filarmônica Euterpe Maruinense; espetáculo teatral do grupo Rebiboca da Parafuzeta, de Japaratuba; banda Los Guaranis e Musical Leketchê, de Maruim. Já no domingo (06), a partir das 15h, na Praça da Matriz, a programação será voltada para as crianças com as Jujubetes e a Companhia Gentileza de Artes Integradas (Cigari), de Aracaju.

Share on Google Plus

About Redação

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!