COLUNA DESTAQUE

Nove praias devem ser evitadas para banho até quarta-feira,12

(Foto: Ascom/Adema)
Na capital, as praias dos Artistas (em frente ao farol da Coroa do Meio), do Banho Doce (em frente ao Chafariz), e a do Bico do Pato (ponte da 13 de Julho/Coroa do Meio), somadas às do interior do estado, tais como, praia de Pirambu, (em frente ao Rio Japaratuba), Atalaia Nova (em frente ao Terminal Hidroviário) e a São Pedro Pescador (Rio Cotinguiba) estão temporariamente impróprias para banho no período de 06 a 12 de agosto deste ano.
No total, nove praias do estado de Sergipe devem ser evitadas. Pois, das quatro principais praias do “Velho Chico” (Rio São Francisco), três delas também estão impróprias para banho. São elas: prainha da Adutora do município de Telha; prainha de Neópolis (em frente a Orla do município); e a prainha do povoado Saúde, do município de Santana de São Francisco.
O resultado da avaliação da qualidade das águas das praias e “prainhas” (rios) para banho é aferido pela Gerência de Monitoramento Ambiental da Administração Estadual do Meio Ambiente (Geama/Adema). O estudo para classificação das praias, de se Próprias ou Impróprias para o banho, leva em consideração os Padrões de Qualidade da Água, esses, definidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), por meio da resolução 274/2000.

Período chuvoso

Segundo explica o gerente de Avaliação e Monitoramento Ambiental, Péricles Azevedo, no período chuvoso a contaminação das águas do mar tem a perspectiva de aumentar em consequência de alguns fatores. Salienta que, com a intensidade das chuvas ocorre o aumento do volume das águas dos rios; e com destaque para o arraste de sujidades de suas margens. Essas águas são transportadas até o mar, que através do movimento das correntes marinhas estes contaminantes alcançam às praias.
“Podemos considerar também que por ação das chuvas ocorre o arraste de poluentes das ruas para as galerias de águas pluviais as quais são carreadas até o mar, acrescentando ainda a existência de ligações clandestinas de esgotamento doméstico/sanitário às redes coletoras de águas pluviais, cuja destinação é o mar”, destacou Péricles, enfatizando ainda que os fatores citados podem provocar condições impróprias de balneabilidade, constatadas através de análises laboratoriais por este órgão ambiental.

Sinalização

Com o objetivo de alertar os banhistas para que evitem os locais impróprios para banho, placas indicando o resultado do monitoramento são afixadas pelo órgão responsável nos locais monitorados. A placa de cor azul indica que água está Própria (apropriada) para banho e atividades esportivas. E da cor vermelha, que o ponto avaliado da praia está temporariamente Impróprio para banho.
O relatório da balneabilidade das praias de Sergipe pode ser conferido semanalmente por meio do site do órgão: adema.se.gov.br

Por Ascom/Adema

Nenhum comentário

Deixe o seu comentário!

Tecnologia do Blogger.