Dilma em visita a Sergipe
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

O Estado de Sergipe surge como polo produtor de fertilizantes capaz de assumir o projeto central do segmento de potássio da Vale Fertilizantes. Matéria publicada no jornal Valor Econômico nesta quarta-feira, 13, indica que a empresa planeja interromper a exploração da mina de potássio na Província de Mendoza, na Argentina, onde se localiza o projeto Rio Colorado. Com essa suspensão, o projeto Carnalita torna-se o principal investimento da Vale em potássio, com um aporte de US$ 4 bilhões e capacidade de produção de 1,2 milhão de toneladas do minério.
É a confirmação da luta do governador Marcelo Déda que trabalhou arduamente para que a Vale fizesse um acordo com a Petrobras, a fim de viabilizar o Projeto Carnalita, entendendo a importância da exploração do minério para a economia do Estado e para impulsionar a cadeia produtiva de fertilizantes do país.
A renovação do direito da mineradora de explorar as reservas em terras petroleiras por mais 30 anos foi costurada ao longo dos últimos cinco anos e contou com a participação do governador Marcelo Déda. Déda trabalhou junto ao Governo Federal para pôr fim ao imbróglio entre as duas empresas, sempre conduzindo reuniões entre ambas as empresas. Em abril último, a presidenta da República, Dilma Rousseff, esteve em Sergipe para a assinatura do projeto Carnalita.

Valor
 
A publicação do jornal Valor explica que o Rio Colorado era o projeto âncora do segmento de potássio da Vale Fertilizantes, com potencial para produzir 4,3 milhões de toneladas anuais, mas o alto custo do investimento impossibilitou sua implantação.
“Rio Colorado era o projeto âncora do segmento de potássio da Vale Fertilizantes, com potencial para produzir 4,3 milhões de toneladas anuais. Fontes próximas à empresa realçam que foram muitos os desafios para levá-lo adiante, mas que os desequilíbrios macroeconômicos do país vizinho foram mais fortes. Além do acréscimo de custos, afirmam essas fontes, pedidos das províncias por onde ia passar a logística levaram o projeto de um estado de viabilidade para um estado de inviabilidade. O projeto não conseguiu apresentar retorno para a Vale”, informa o texto do Valor Econômico.
 
Carnalita
 
Único produtor do minério do País, Sergipe é uma opção de investimento menos onerosa para a Companhia. A jazida, localizada no município de Rosário do Catete, pertence à Petrobras e será explorada pela Vale para  atender a crescente demanda agrícola nacional e reduzir as importações do produto. 
A viabilidade econômica da Carnalita está entrelaçada à atividade agronômica no Brasil, um dos maiores produtores agrícolas do mundo. Além de diminuir a dependência externa do insumo, o potássio motivará oportunidades de novos negócios na cadeia produtiva de fertilizantes e consequentemente aumentará a geração de novos empregos.
O Projeto Carnalita deve gerar cinco mil empregos durante sua fase de impantação e outras 700 vagas permanentes quando entrar em operação. O empreendimento também deve impulsionar a cadeia produtiva de fertilizantes instalada no Estado. Além da produção de potássio feita pela Vale, a Fafen produz nitrogênio e há oito misturadoras de fertilizantes.

Por ASN

0 Comentários