Header Ads

Centro Sportivo Maruinense: 100 anos do Fantasminha Camarada

 * Por Keizer Santos
Jornalista
CSM em 1990 (Foto: Divulgação)
No dia 3 abril de 1917, alguns comerciantes, entre eles Sinval Barreto, Carlos Santiago, Durval Maynart, Ignácio Soares e João Lisboa, fundaram o Socialista Sport Club no próspero município sergipano de Maruim. Seu escudo adotava a cor vermelha, como predominante, e o uso de estrelas, que também eram características dos partidos socialistas, em alta naquele momento, por conta da Revolução Russa. Anos depois, a cor vermelha foi substituída pela cor verde. Na década de 60, o escudo foi alterado pela terceira vez, quando o time passou a adotar a denominação de Centro Sportivo Maruinense (CSM). A mudança de nome teve como objetivo, criar uma identidade com a cidade, adotando o adjetivo gentílico em sua designação.
"Os periquitinhos", apelido carinhoso atribuído ao Socialista, por conta das cores verde e branca, não conquistaram nenhum título. Situação diferente viveu o Atlético Clube Ipiranga, que foi o o primeiro clube do interior a disputar o campeonato sergipano de futebol, em 1936. 
O Ipiranga nasceu com a denominação de Transwal, quando foi fundado pelos integrantes da fábrica de bebidas Hannequim, em 13 de abril de 1932. Sua sede era situada na Rua Barão do Rio Branco, nº 1, no centro do município de Maruim.
Estádio Gonçalo Prado, em 1939 (Foto: Edson Lemos)
Em 1939, o campeonato sergipano passou a ser disputado com a divisão dos times da capital (formada por Palestra, Sergipe, Vasco, Paulistano, Siqueira Campos e Victoria) e uma divisão com os times do interior (formada por Ipiranga, Socialista, Riachuelo e Laranjeiras). Os campeões de cada divisão disputavam o título do estadual. Maruim tinha dois representantes nesta competição, Socialista e Ipiranga. Neste ano, o Ipiranga foi o campeão da divisão do interior, quando derrotou no dia 10 de março de 1940, o Laranjeiras por 4 a 0, na inauguração do Estádio Municipal Gonçalo Prado, em Maruim. O Club Sportivo Sergipe foi o campeão da divisão da capital. Na disputa pelo título estadual, o Ipiranga empatou em 1 a 1 com o Sergipe na primeira partida realizada no dia 7 de abril, em Aracaju. No dia 14, uma semana depois, novamente em Aracaju, na segunda partida entre as equipe, houve um novo empate em 2 a 2. A última partida disputada na capital sergipana, no dia 12 de maio, terminou com um empate sem gols, sendo que na prorrogação, Charuto fez um gol, que garantiu o título para o Club Sportivo Sergipe.
Ipiranga (Ilustração: Sérgio Mello)
Apesar da conquista do Sergipe, o Ipiranga recorreu à federação, alegando a escalação irregular do jogador Renato Costa Vieira, que era atleta amador no Clube Atlético Ypiranga, em São Paulo/SP. Porém, ao jogar pelo Sergipe, o jogador não havia realizado a sua profissionalização, ou seja, inapto em relação à parte documental. No dia 15 de junho de 1940, a Federação Sergipana de Futebol cassou o título de campeão estadual de 1939 do Club Sportivo Sergipe. Com a decisão, o Ipiranga conquistou o seu primeiro título na categoria profissional.
Neste campeonato de 1939, encerrado em 1940, os artilheiros foram Antenor (Siqueira Campos), Charuto (Sergipe) e Vavá (Ipiranga), todos com oito gols. Em 1945, o Ipiranga sagrou-se bicampeão sergipano.
O Ipiranga desistiu do futebol profissional em 1968, passando a disputar apenas os campeonatos locais no município de Maruim.
Outros clubes também chegaram a ser registrados em Maruim: o Sport Clube Comercial e o Bandeirante, este fundado pelos Teixeiras, Garcia Moreno e os Corumbas.

Maruinense de 1988 (Foto: Revista Placar)

Em 1970, o Centro Sportivo Maruinense fez a sua estreia no Campeonato Sergipano de Futebol. Após a mudança do nome, sua primeira melhor campanha no estadual aconteceu em 1972, quando ficou com a sexta colocação geral na competição que teve como campeão o Club Sportivo Sergipe. No ano de 1988, O Fantasminha Camarada voltou a fazer uma excelente campanha com a conquista do terceiro lugar no campeonato, que a Associação Desportiva Confiança havia sagrado-se campeã. No time de 1988, estavam presentes jogadores como Miro, Geovani, Fernando, Adílson, Beline, Jorge Miranda, Tuíca, Jorginho, Mirandinha, Boca e Guiga. Após esta excelente campanha, o Maruinense não passou da sétima colocação nas edições posteriores do campeonato.


CSM em 2003 (Foto: Divulgação)
Em 1998, o CSM foi rebaixado pela primeira vez. O retorno à Série A ocorreu no ano 2000. Porém, em 2001, o clube novamente foi rebaixado. Em 2003, na segunda divisão, o clube conquistou o seu primeiro título como profissional após vencer o Esporte Clube Propriá por 2 a 1, nos pênaltis, após um empate sem gols no tempo normal, no Estádio Lourival Batista, "o Batistão", em Aracaju. 
O Maruinense chegou na sétima colocação geral nos campeonatos estaduais de 2003 e 2004, anos que o Sergipe e o Confiança foram campeões, respectivamente. As campanhas eram as melhores do clube em mais de dez anos. Porém, em 2005, ano do título da Associação Olímpica Itabaiana, fatidicamente, o Maruinense voltou a cair. Após este rebaixamento, o clube está há 12 anos longe da "elite" do futebol sergipano.

Momentos de glória nacional
 
Maruinense de 1994 com o atacante Oséas (Foto: Divulgação)
O Maruinense foi personagem de uma façanha sensacional no ano de 1994, quando o clube disputou a Série C do Campeonato Brasileiro de Futebol. O clube ficou na oitava colocação, em sua primeira competição nacional. Ficou a um passo do acesso à série B. 
Na primeira partida da disputa pelas quartas-de-final, realizada no dia 13 de novembro de 1994, em Maruim/SE, o CSM empatou com o Uberlândia/MG por 2 a 2. Na partida de volta, em 16 de novembro de 1994, na cidade de Uberlândia/MG, o Fantasminha Camarada foi goleado por 3 a 0. 
Camisa do CSM, em 2008 (Foto: Divulgação)
Jogadores como Oséas (ex-Palmeiras, ex-Atlético/PR, ex-Santos, ex-Cruzeiro e seleção brasileira), Adílson Sergipano, Esquerdinha, Clodoaldo, Pedro Aruba (ex-Figueirense, ex-Sergipe), Curel, Cleibson Ferreira, Cabelo, Carlinhos, Miltinho e Jay participaram da campanha de 1994.
Na segunda participação do clube, em 1995, na Série C do Brasileiro, o clube acabou na 102ª colocação.
No Maruinense, outros jogadores também foram destaques como Val Baixinho, Zitinho, Sibi, Ney Maruim (ex-Sport, ex-Coritiba, ex-Vitória de Setúbal, ex-Confiança e, atualmente, no Itabaiana), Toinho Aruba (ex-Santa Cruz, ex-Itabaiana), Elder Gomes (Ex-Figueirense), Edualisson Matos (in memorian).

Fantasminha Camarada

Gasparzinho (Ilustração: Divulgação)
Em 1988, o Centro Sportivo Maruinense era a sensação do campeonato sergipano de futebol. Naquele ano, o clube derrotava os "grandes" do futebol local. A imprensa passou a chamar a equipe de "Fantasminha", pois aquele time que brigava para não cair de divisão, passou a vencer, ao ponto de terminar o campeonato na terceira colocação. Porém, após a bela campanha de 1988, o Fantasminha não foi mais o mesmo. De acordo com relatos do ex-jogador e presidente do clube, Antônio Aruba (Toinho Aruba), o radialista Wellington Elias passou a apelidar o clube de "Fantasminha camarada", pois passou a "agradar" os adversários com as suas derrotas. O termo "Fantasminha camarada" é uma alusão ao personagem Gaparzinho, criado na década de 90. Gaparzinho era uma criança fantasma, que praticava boas ações. 


Hino do Centro Sportivo Maruinense
Letra: Maria Lúcia Marques Cruz e Silva
Música: Wolney Monte Santo
Soltei ao vento a minha bandeira
Com as cores da nossa emoção.
O alvi-negro traduz nossas raças,
a força e a garra do nosso campeão.

Conterrâneo onde estiver,
grite, torça e bote fé.
Que o seu time tem valor,
muitas glórias conquistou.

CSM, eu amo você!
Maruinense me orgulho de ser!
CSM, eu amo você!
Maruinense me orgulho de ser!

Na "beleza de cidade", o esporte brilhou também.
O futebol de Maruim, de Maruim.
História tem.


REFERÊNCIAS
 
CAMPEONATO Sergipano de 1939. Futebol Nacional. Disponível em . Acesso em 9 abr 2017.

CRUZ E SILVA, Maria Lúcia Marques. Inventário Cultural de Maruim. Edição comemorativa aos 140 anos de Emancipação Política da cidade. Aracaju: Secretaria Especial de Cultura, 1994.

DIOGO, Julio. Futebol Sergipano em 1940: 1º semestre. Hisria do Futebol. Disponível em . Acesso em 8 abr 2017.

GALERIA dos campeões. Federação Sergipana de Futebol. Disponível em <http://itabi.infonet.com.br/fsf/index.php?option=com_content&task=view&id=19&Itemid=35>. Acesso em 8 abr 2017.

REVISTA Placar. Um fantasma mete medo em Sergipe. A semana. Publicado em 29 jul 1988. Disponível em >. Acesso em 8 abr 2017.


VIANA, Tito. COTINGUIBA: primeiro campeão sergipano de futebol. Infonet. Disponível em <http://itabi.infonet.com.br/fsf/images/arquivo/voce_sabia/cotinguiba_primeiro_campeao.pdf>. Acesso em 8 abr 2017.

Nenhum comentário

Deixe o seu comentário!

Tecnologia do Blogger.